Ultimate magazine theme for WordPress.

Campeão mundial da classe Finn, velejador Jorge Zarif é flagrado em antidoping

O atleta foi flagrado com a substância tamoxifeno, mas explicou que estava em tratamento médico

Rio de Janeiro, Brasil – Mais um caso de doping abalou o esporte olímpico brasileiro. Depois do nadador Gabriel Santos, da tenista Bia Haddad Maia e da judoca Rafaela Silva, o velejador Jorge Zarif também foi flagrado em teste antidoping. O anúncio foi feito pela assessoria de imprensa do atleta nesta quinta-feira (16).

Segundo o comunicado, Jorge Zarif aceitou a suspensão preventiva imposta pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), em decorrência de um resultado analítico adverso para a substância tamoxifeno.

Embora confirme o uso da substância, Zarif explica que a utilizou para o tratamento de uma ginecomastia bilaterial e que está de posse de todos os documentos e históricos médicos que comprovam o quadro clínico, incluindo fotos e exames.

A ginecomastia é uma condição que causa o crescimento das glândulas mamárias. No caso do velejador, o problema atingiu as duas mamas, o que lhe causava incômodo para competir.

O teste que apontou a presença da substância foi realizado no evento-teste de vela, organizado pela Federação Internacional de Vela (World Sailing), em agosto, na raia de Enoshima, no Japão, onde também ocorrerá a disputa olímpica deste ano.

Jorge Zarif no pré-olímpico de Enoshima, onde terminou na quarta posição. Foto: World Sailing
Jorge Zarif no pré-olímpico de Enoshima, onde terminou na quarta posição. Foto: World Sailing

Quem cuidará do caso de Zarif é o advogado Bichara Neto, especialista em casos de doping no esporte e responsável pela defesa de Haddad Maia, Santos e Silva em seus respectivos processos.

Bichara contou ao blog do jornalista Marcelo Laguna, no Lance, que a notificação da ABCD sobre o resultado do exame chegou ontem (15). Ele explicou também que a decisão de entrar em suspensão provisória é que, em caso de ser considerado culpado, o tempo de ausência das competições já conte para uma possível pena.

O caso será julgado pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) da ABCD, em Brasília, mas ainda não há data prevista.

“Considerando a proximidade dos Jogos e de provas classificatórias, esperamos que ocorra o mais breve possível”, afirmou o advogado de velejador brasileiro.

Líder do ranking mundial na classe Finn, e nome certo da vela brasileira em Tóquio 2020, Jorge Zarif foi campeão mundial em 2013, na Estônia.

Em Jogos Olímpicos, disputou duas edições: em Londres (2012) e no Rio de Janeiro (2016). Naquela, terminou na 20ª posição e nesta bateu na trave do pódio olímpico, ficando em 4º lugar.

Leia também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao continuar usando este site, você concorda com a utilização de cookies. AceitarLeia mais