Campeã olímpica, judoca Rafaela Silva é flagrada em exame antidoping

Rafaela Silva ganhou a medalha de ouro no Pan de Lima (Foto: Pedro Ramos/rededoesporte.gov.br)

A judoca Rafaela Silva, medalha de ouro na Olimpíada do Rio de Janeiro, foi flagrada em exame antidoping realizado durante o Pan-americano de Lima, em agosto. A atleta de 27 anos convocou coletiva de imprensa às 15h desta sexta-feira (20), na Universidade Federal do Rio de Janeiro (Unirio), para dar mais explicações sobre o caso.

Segundo informações apuradas pelo jornalista Demétrio Vecchioli, do Olhar Olímpico, o resultado estaria associado ao uso de Berotec, um dos remédios contra a asma, que tem fenoterol, substância proibida pela Wada (Agência Mundial Antidoping). Para usá-lo, a atleta deveria ter uma autorização da entidade.

Os boatos sobre o doping de Rafaela já corriam desde o final do mês passado, quando faturou o bronze no Mundial de judô, em Tóquio. Naquela ocasião, a CBJ (Confederação Brasileira de Judô) usou sua participação na competição para afastar estes rumores.

Como a PanAm Sports (responsável pelos Jogos Pan-americanos) apenas colhe os resultados e os encaminha para os órgãos internacionais, como as federações esportivas e os órgãos antidoping, nada foi oficialmente divulgado na época. Assim, a equipe da judoca, bem como o COB (Comitê Olímpico do Brasil) e a CBJ, segurou a informação o máximo que pôde.

As sanções que podem ser aplicadas à Rafaela Silva ainda são uma incógnita. Segundo o advogado Marcelo Franklin, que já atuou em casos de doping no esporte brasileiro, explicou que “cada caso é um caso” e acrescentou que “a jurisprudência mundo afora já deu para esse tipo de caso desde advertência a quatro anos de suspensão”.

Em 2016, o profissional representou a nadadora Etiene Medeiros, que foi pega com a mesma substância. Ela levou apenas uma leve advertência e pôde disputar a Olimpíada do Rio.

Agora, os resultados de Rafaela Silva estão na mira dos órgãos competentes. Além do ouro no Pan, ela deverá ficar sem o bronze do Mundial de Tóquio e o bronze por equipes que conquistou na mesma competição.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima