Rusada não vai apelar contra a sanção de dois anos imposta pelo TAS

  • Rússia está proibida de participar e hospedar eventos esportivos por dois anos
  • Apesar das sanções, entidade diz que não há irregularidades em dados entregues à Wada
  • Rusada deve pagar cerca de R$ 6,94 mi à Wada pelos custos processuais

Moscou, Rússia – A Agência Antidopagem da Rússia (Rusada) confirmou que não apelará da decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), após as sanções de dois anos impostas à organização no mês passado.

A Agência Mundial Antidoping (Wada) impôs um conjunto de punições de quatro anos à Rússia em dezembro de 2018, depois que descobriu que dados do Laboratório de Moscou haviam sido adulterados e manipulados.

Um painel de três membros do TAS no mês passado reduziu o período de sanções para dois anos após um recurso da Rusada.

O painel decidiu que apenas os atletas russos que atenderem a certos critérios poderão competir como neutros em eventos como Tóquio 2020, Pequim 2022 e a Copa do Mundo Fifa de 2022 no Catar.

A Rússia não será capaz de hospedar, ou ter o direito de sediar, nenhum evento importante durante o período de dois anos em que as sanções se aplicam e deve ser retirado qualquer Campeonato Mundial já concedido que deva ocorrer entre agora e 16 de dezembro de 2022 “a menos que seja praticamente impossível” fazê-lo.

A Rusada teve a opção de apelar ao Tribunal Federal Suíço por motivos processuais.

A organização confirmou que tomou a decisão de não apelar.

A Rusada disse que “discorda veementemente das conclusões da Sentença do TAS em relação às alegadas manipulações de dados”, que afirma serem “baseadas em uma avaliação falsa e unilateral dos fatos e não foram suficientemente provados”.

“A Rusada considera que este capítulo foi encerrado e espera trabalhar com a Wada com o objetivo de restaurar totalmente o status de membro da entidade”, diz uma declaração da Rusada.

“A Rusada acredita que este processo será construtivo e baseado em um roteiro transparente e realista em linha com as obrigações da Rusada no âmbito do Código Antidoping da Wada (WADC).

“A Rusada continua totalmente comprometida com a luta contra o doping, mas continuará a defender os direitos dos atletas russos limpos e a se opor a qualquer forma de discriminação contra o esporte russo.

“É esperança da Rusada é que a Wada, com o tempo, veja a disputa e os procedimentos do TAS como uma oportunidade de aprender e de criar um sistema de conformidade internacional junto com seus signatários, não contra eles.”

O Tribunal de Arbitragem do Esporte reduziu pela metade a sanção de quatro anos da Rusada no mês passado © Getty Images
O Tribunal de Arbitragem do Esporte reduziu pela metade a sanção de quatro anos da Rusada no mês passado © Getty Images

A decisão fundamentada publicada pelo TAS no início deste mês viu a conduta da Rússia duramente criticada pelo painel, que concordou com a Wada que o país havia buscado “encobrir o acobertamento”.

O painel do TAS concordou que o não cumprimento “dificilmente poderia ser mais sério”, concluindo que, em resposta a “evidências forenses contundentes”, especialistas russos que ajudaram o Ministério do Esporte ofereceram explicações “totalmente inadequadas, não convincentes e rebuscadas”.

O painel, entretanto, decidiu não aplicar todas as sanções solicitadas pela Wada.

A Wada disse que o TAS falhou em explicar completamente porque reduziu as sanções de forma significativa, concluindo que “com base em sua própria avaliação de proporcionalidade, o Painel considerou que os objetivos legítimos da Wada poderiam ser alcançados adequadamente com consequências menores.”

De acordo com os termos da decisão, o nome da Rússia será permitido em uniformes em eventos como as Olimpíadas, mas as palavras “atleta neutro” – ou equivalente – “devem ser exibidas em inglês em uma posição e tamanho que não seja menos proeminente do que o nome “Rússia”.

As cores da bandeira também serão permitidas, mas o hino nacional russo está proibido.

Embora os representantes do governo russo sejam impedidos de participar das Olimpíadas e Campeonatos Mundiais, a menos que sejam convidados pelo primeiro-ministro ou chefe de Estado, o TAS revogou a proibição de oficiais do Comitê Olímpico russo em Tóquio 2020 e Pequim 2022.

A Rusada também foi condenada a pagar uma multa de $ 100.000 (£ 74.000 / € 82.000) ou 10 por cento de sua receita de 2019 – o que for menor – e uma contribuição de $ 1,27 milhões (£ 935.000 / € 1 milhão) para os custos incorridos por WADA de janeiro de 2019 até a data da decisão na investigação da autenticidade dos dados do Laboratório de Moscou.

O diretor-geral interino da Rusada, Mikhail Bukhanov, disse à agência de notícias estatal russa Tass que a organização estava aguardando esclarecimentos sobre o valor.

“A Rusada deve cumprir todos os pontos da decisão do tribunal, inclusive os financeiros”, disse Bukhanov.

“De acordo com o parágrafo 7 da parte operativa da decisão do CAS, os custos de arbitragem no valor de 80 por cento a serem suportados pela Rusada serão determinados e transferidos para a agência pelo escritório do TAS.

“Atualmente estamos aguardando esclarecimentos sobre este valor, os demais valores estão determinados em decisão judicial e não carecem de esclarecimentos.

“Quanto às fontes de financiamento, esta questão está em discussão e fará parte da agenda das reuniões dos órgãos colegiais de gestão da Rusada”.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima