“Não estou feliz”, diz Macron sobre Paris 2024

Data:

Presidente da França falou sobre sua preocupação com as regiões de Paris que mais sofrerão com as obras para as Olimpíadas de 2024

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou estar preocupado com o legado e as consequências das obras dos Jogos Olímpicos de Paris, 2024, para as áreas mais pobres da cidade e regiões.

“No momento, não estamos cumprindo as metas que deveríamos para as regiões de Paris que mais serão afetadas pelas Olimpíadas”, disse Macron em Evry-Courcouronnes, sul de Paris, na segunda-feira (4).

- Advertisement -

“Está claro que esta região e, acima de tudo, Seine-Saint-Denis, por serem as mais afetadas com a construção de novas instalações, não estão obtendo um retorno justo. Então, vamos trabalhar nisso, porque, por enquanto, não estou feliz”, disse o presidente.

Seine-Saint-Denis, que estará no coração de Paris 2024, é marcado pelas maiores taxas de pobreza e criminalidade da França.

Ao norte do distrito de Paris, está o Stade de France, estádio nacional que será reformado para abrigar as cerimônias de abertura e encerramento do evento. Também sediará a vila olímpica e o centro de imprensa. Ambos serão transformados em habitações após o evento.

Stade de France: palco das cerimônidas de abertura e encerramento de Paris 2024
Stade de France: palco das cerimônidas de abertura e encerramento de Paris 2024

Com a política de austeridade de Macron, o governo cortou a verba para as instalações esportivas locais e reduziu o número de empregos subsidiados pelo Estado, a maioria ligados aos clubes esportivos da cidade.

Macron admitiu que essas medidas causaram “um problema real para muitos clubes e cidades” e prometeu elaborar “um grande plano para os pequenos clubes”.

“Nos últimos 18 meses, o governo abandonou o esporte e enviou alguns sinais ruins”, disse Michel Savin, membro da câmara alta do Senado para os republicanos da oposição (LR), especializado em questões ligadas ao esporte.

O presidente do Seine-Saint-Denis, Stephane Troussel, criticou os comentários de Macron.

“A herança das Olimpíadas é uma batalha pela qual venho lutando há meses para tentar encorajar o Estado a fazer mais. Eu digo a ele (Macron), antes tarde do que nunca!”, disse Troussel, do Partido Socialista da oposição.

Tony Estanguet, ex-campeão olímpico de canoagem, que dirige o Comitê Organizador de Paris 2024, parabenizou “a ambição que o chefe de Estado reafirmou”. “Obviamente, poderemos ir mais longe ajudando as pessoas com um estado altamente motivado ao nosso lado”.

Os Jogos Olímpicos de Paris 2024 acontecerão entre 26 de julho e 11 de agosto de 2024.

- Advertisement -
Gabriel Lima
Gabriel Lima
Gabriel Lima é jornalista, formado pela Universidade Federal do Pará. Já participou da cobertura dos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, 2018. Na ocasião, esteve responsável pelas notícias e atualizações da ginástica artística.

Compartilhe

Recentes