Brasil fecha a Universíade Nápoles 2019 na 13º posição

Brasil fecha a Universíade Nápoles 2019 na 13º posição

Com 17 pódios, sendo cinco ouros, três pratas e nove bronzes, o Brasil encerrou sua melhor campanha no torneio

O Time Brasil se despediu da trigésima edição da Universíade de verão, Nápoles 2019, com o melhor aproveitamento na história do torneio. Com 17 medalhas, os atletas brasileiros, que conquistaram pódios no futebol, atletismo, natação, judô, ginástica artística e taekwondo, ajudaram o país a terminar em 13º no quadro geral.

Até então, o recorde eram quatro ouros nas Universíades de Esmirna, em 2005, quando também terminou em 13º com 15 pódios, e de Kazan, em 2013, na qual somou 11 medalhas e anotou a 17º colcação.

Anfitrião dos Jogos Olímpicos de 2020, o Japão conquistou 82 medalhas, sendo 33 ouros, 21 pratas e 28 bronzes, e foi o maior medalhista da competição. A Rússia também somou 82 pódios, mas ficou em segundo pela diferença de medalhas de ouro (22, 24, 36). A China, que empatou com a Rússia em conquistas douradas, acabou em terceiro, com 43 conquistadas (22, 13, 8).

Confira o quadro de medalhas do Brasil na Universíade de Nápoles:

Ouro

  • Atletismo
    • 100m e 200m – Paulo André Camilo
    • 400m com barreiras – Alison Santos
    • 110m com barreiras – Gabriel Constantino
  • Natação
    • 50m peito – Jhennifer Alves

Prata

  • Atletismo
    • Salto triplo – Mateus Adão
  • Futebol masculino
  • Natação
    • Revezamento 4×100 – Luiz Gustavo Borges, Gabriel Ogawa, Felipe Ribeiro, Marco Antônio Junior

Bronze

  • Atletismo
    • Salto triplo – Alexsandro de Melo
    • 100m – Rodrigo do Nascimento
  • Ginástica Artística
    • Salto sobre a mesa – Luís Guilherme Porto
  • Judô
    • -90kg – Gustavo Assis
    • Absoluto – Sibilla Faccholi
    • Absoluto – João Marcos da Silva
  • Natação
    • 100m livre – Marco Antônio Junior
    • 4x200m – Gabriel Fantoni, Marco Antônio Junior, Pedro Cardona e Iago Moussalem
  • Taekwondo
    • -62kg – Bárbara Novaes

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima