Artigo atual
Após vitória na Liga Diamante, Darlan Romani “está mais firme”




Após vitória na Liga Diamante, Darlan Romani “está mais firme”

Após vitória na Liga Diamante, Darlan Romani "está mais firme"

Darlan quebrou a barreira dos 22 metros, com novo recorde sul-americano do arremesso do peso (22,61 m) 

Menos de 24 horas depois de ter batido três vezes o recorde sul-americano do arremesso do peso, vencido pela primeira vez uma etapa de Liga Mundial de Atletismo e de ter entrado de vez no grupo dos maiores atletas da especialidade, o brasileiro Darlan Romani ainda não tem noção da façanha que alcançou na Califória, Estados Unidos.

Darlan entrou para o seleto grupo de atletas do mundo que lançam acima de 22 metros no arremesso do peso. “Foi mais uma etapa avançada. Obrigado ao técnico Justo Navarro e a todos que torcem por mim. Foi um dia histórico e eu não tenho palavras”, escreveu em seu Instagram.

O atleta do Pinheiro venceu a sétima etapa da Liga Diamante 2019, a Prefontaine Classic, com a marca de 22,61 m, neste domingo (30/6). Ele fez quatro lançamentos acima dos 22 metros e melhorou o seu próprio recorde continental em 61 centímetros (era 22,00 m desde 15/9/2018).

“Mais um degrau alcançado e agora seguimos mais firme ainda. Vamos em frente para mais batalhas”, disse Darlan, que viaja nesta segunda-feira (1/7) de volta para León, na Espanha, onde participa de um Camping Internacional de Treinamentos e Competições de Arremesso e Lançamento até o dia 3 de agosto. No domingo (7/7), tem mais uma competição na Polônia.

Da Espanha, o brasileiro segue direto para Lima, no Peru, onde participa dos Jogos Pan-Americanos, de 26 de julho a 11 de agosto – o atletismo em pista será na segunda semana do calendário de competições. Depois tem o Mundial de Doha, no Catar, de 27 de setembro a 6 de outubro, e o Mundial Militar de Wuhan, na China, em outubro.

A atuação espetacular de Darlan, que venceu o campeão olímpico norte-americano Ryan Crouser, segundo colocado, com 22,17 m, e o campeão mundial neozelandês Tom Walsh, terceiro, com 21,76 m, mereceu repercussão internacional.

Afinal, a marca de 22,61 m é a décima melhor da história no Ranking de todos os tempos e a segunda melhor de 2019 (a primeira é justamente de 22,74 m de Ryan Crouser).

Comentários (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

© 2018-2020 Agência Olímpica.