Duplas brasileiras se mantém invictas em estreia na Continental Cup

Data:

Alison/Álvaro Filho e Pedro Solberg/Vitor Felipe venceram todos os jogos desta quarta-feira (3). Eles enfretam as duplas venezuelanas amanhã

O Brasil terminou o primeiro dia da Continental Cup de maneira invicta, com quatro vitórias. Alison/Álvaro Filho e Pedro Solberg/Vitor Felipe venceram duas vezes cada nesta quarta-feira (03), em partidas contra duplas bolivianas.

Nesta quinta-feira (04), os brasileiros encaram times da Venezuela na decisão do grupo.

- Advertisement -

Alison e Álvaro Filho estrearam a parceria com dois triunfos. No primeiro, superaram Cova e Franco (BOL) por 2 sets a 0 (21/10, 21/10). Horas mais tarde, nova vitória tranquila: 2 sets a 0 (21/10, 21/12) sobre Edson/Gonzales (BOL). Alison analisou as primeiras partidas junto do paraibano e celebrou o bom encaixe da dupla.

“Estamos muito felizes, queríamos estrear logo, tivemos cerca de seis treinos juntos apenas, mas o time encaixou muito bem. O Álvaro já joga na saída de rede, é defensor, funcionou muito bem. Nossa virada de bola funcionou muito bem, nossa tática defensiva também. Estamos contentes, esperamos manter a regularidade amanhã. Nosso segredo está sendo conversar muito, dentro de quadra, fora dela, isso é algo fundamental nesse começo de trabalho”, disse.

Pedro Solberg e Vitor Felipe também superaram as duplas da Bolívia sem dificuldades. Na estreia, vitória sobre Edson e Gonzales por 2 sets a 0 (21/17, 21/13), e na segunda rodada, triunfo sobre Cova/Franco também em sets diretos: 21/13, 21/11.

Com o resultado de 4 a 0, o Brasil decide com a Venezuela nesta quinta-feira quem será campeão do grupo. Os venezuelanos são representados por Hernandez/Hernan e Charly/Tigrito, que nesta quarta venceram os quatro jogos que disputaram contra duplas do Paraguai. No duelo de amanhã, em caso de empate por 2 a 2, os times disputam um Golden Set de 15 pontos para definir o campeão.

A Continental Cup é um dos quatro caminhos para a classificação aos Jogos Olímpicos de Tóquio. Na primeira fase, os países da América do Sul são divididos em três grupos. Os campeões de cada grupo vão direto para a fase final, enquanto segundos e terceiros disputam uma repescagem, com o campeão se unindo à fase final, que será disputada em 2020.

Além da Continental Cup, é possível garantir a vaga aos Jogos pelo Campeonato Mundial (campeão), que ocorre na Alemanha; pelo Classificatório Olímpico (campeão e vice), disputado na China; ou pelo ranking internacional (15 primeiros), que será fechado em junho de 2020. O Japão já possui uma vaga em cada gênero por ser sede.

No feminino, com a desistência da participação da Guiana, o Brasil já está garantido na final e não precisou entrar em quadra nesta quarta-feira. Juliana e Andressa e Tainá/Victoria encaram nesta quinta duplas do Equador – Ariana/Briggitte e Chila Ângulo/Villamar, que venceram o Uruguai com três triunfos nos quatro duelos disputados hoje.)

Chile e Argentina, no naipe masculino, e Colômbia e Argentina, no naipe feminino, venceram seus respectivos grupos e já estão garantidos na fase final da Continental Cup, que será em 2020, em local que ainda será confirmado.

- Advertisement -
Gabriel Lima
Gabriel Lima
Gabriel Lima é jornalista, formado pela Universidade Federal do Pará. Já participou da cobertura dos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, 2018. Na ocasião, esteve responsável pelas notícias e atualizações da ginástica artística.

Compartilhe

Recentes