Artigo atual
Relatório revela violações trabalhistas nas construções de Tóquio 2020

Relatório revela violações trabalhistas nas construções de Tóquio 2020

Relatório revela violações trabalhistas nas construções de Tóquio 2020

As descobertas foram substanciadas por entrevistas com trabalhadores envolvidos na construção do Estádio Nacional e da Vila Olímpica

Um relatório divulgado por uma federação sindical global exige melhores condições para os trabalhadores que atuam na construção das instações olímpicas de Tóquio, depois que várias violações trabalhistas “alarmantes” foram descobertas.

O relatório da Building and Wood Workers’ International (BWI), intitulado “O Lado Negro dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020“, é baseado em entrevistas com trabalhadores da construção civil e documenta, entre os problemas,  salários baixos e excesso de trabalho.

Sediada em Genebra, a BWI busca o fim de “padrões perigosos de excesso de trabalho”, citando o exemplo dos trabalhadores que atuam na construção do Estádio Nacional e da Vila Olímpica, que relataram trabalhar até 26 e 28 dias consecutivos, respectivamente.

“A Olimpíada de Tóquio era a oportunidade do Japão abordar e resolver problemas na construção civil do país, mas os problemas só pioraram”, disse o secretário-geral da BWI, Ambet Yuson.

“Os salários permanecem baixos, o excesso de trabalho perigoso é comum e os trabalhadores não têm a quem recorrer para resolver seus problemas”, acrescentou Yuson.

Entre os resultados, um caso no Estádio Nacional foi destacado por ser particularmente grave.

O relatório citou uma queixa sobre a lesão de um trabalhador ser rejeitada porque foi trazida pelo sindicato e não pela parte lesada. A suposta rejeição “constitui uma violação grave do direito de ser representado, um componente central do direito à liberdade de associação”, disse a federação no relatório.

A BWI enviou uma delegação a Tóquio em setembro passado para se reunir com os principais tomadores de decisão e investigar as “condições enfrentadas pelos trabalhadores na construção das instalações olímpicas de Tóquio 2020”.

Suas descobertas foram substanciadas por entrevistas conduzidas em fevereiro pela BWI e sua afiliada japonesa, a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores da Construção, com trabalhadores envolvidos na construção do Estádio Nacional e da Vila Olímpica.

O relatório foi enviado terça-feira ao comitê organizador Olímpico e Paraolímpico de Tóquio 2020, ao governo metropolitano de Tóquio e ao Conselho Esportivo Japonês – grupos responsáveis ​​pela construção de instalações olímpicas. O comitê organizador de 2020 disse ontem à noite que o relatório está “sob revisão”.

Por meio de sua “Campanha Global do Esporte pelo Trabalho Decente e Além”, a BWI vem examinando eventos esportivos internacionais de larga escala há mais de 10 anos para “melhorar as condições de trabalho e garantir segurança e saúde para os trabalhadores que constroem todos os projetos relacionados a megaeventos esportivos”. “

Comentários (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

© 2018-2020 Agência Olímpica.