Com adiamento de Tóquio 2020, novo coronavírus também compromete orçamento de Paris 2024

Paris, França – A crise mundial causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) ganha novos contornos a cada semana. Além de adiar calendários de futebol ao redor do planeta e jogar para 2021 a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a pandemia tem afetado a organização da Olimpíada subsequente, Paris 2024. A informação é da agência de notícias AFP.

O principal desafio da organização do evento é encontrar meios de economizar em um orçamento afetado pela crise. O adiamento dos Jogos de 2020 acenderam um sinal de alerta.

O assunto seria tratado em uma reunião executiva da Paris 2024, que aconteceria nesta quinta-feira, 3, mas que foi adiada por tempo indeterminado devido às mudanças nas equipes organizadoras a nível municipal. A reunião do conselho administrativo que aconteceria na próxima semana também foi adiada.

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), visitará Paris na próxima semana. A informação foi confirmada pelo órgão à AFP.

Entre os tópicos que seriam tratados na reunião, estava a informação sobre o andamento da construção das linhas 16 e 17 de metrô do futuro Grand Paris Express e a situação em relação aos patrocinadores.

Mas em meio à crise, onde cortar?

O Comitê Organizador local participará com 3,8 bilhões de euros e mais 3 bilhões serão cooptados em conjunto com agentes públicos e servem como investimento na construção da Vila Olímpica e do centro de imprensa, por exemplo.

Apesar disso, algumas obras saíram do controle financeiro. O Centro Aquático Olímpico de Saint-Denis, que fica no norte de Paris, deu um salto exponencial em seu orçamento, sendo reavaliado de 113 milhões de euros para 174,7 milhões. Dinheiro que é de fundo público.

Tony Estanguet, presidente de Paris 2024, havia estabelecido em maio que deveria haver cortes em áreas como segurança, transporte e restauração, a fim de economizar, mas sem comprometer o espetáculo. De acordo com Estanguet, a contribuição dos patrocinadores será entre 1 e 1,2 bilhão de euros.

Com adiamento de Tóquio 2020, novo coronavírus também compromete orçamento de Paris 2024
Tony Estanguet, presidente do Comitê de Paris 2024. Foto: Getty Images

Um membro do Conselho Administrativo de Paris 2024 disse à reportagem da AFP que o intuito agora é se contentar em alcançar as previsões e não em superá-las. Ainda segundo ele, o adiamento de Tóquio 2020 enfraqueceu o ânimo de patrocinadores em relação aos rendimentos com os jogos.

De acordo com a fonte, o plano é economizar pelo menos 10%, algo entre 300 e 400 milhões para que a organização possa ter segurança. A AFP questionou o Comitê Organizador que não comentou o assunto.

Segundo agentes procurados pela AFP, há uma economia no orçamento para a realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos com locais planejados em outras localidades.

Ainda de acordo com um representante municipal, “o nível de serviço durante os Jogos Olímpicos é delirante. É possível reduzi-lo um pouco sem afetar a qualidade, principalmente nos transportes de atletas”.

Também é esperado que as áreas de entretenimento sejam mais singelas. Como exemplo, a Vila Olímpica terá redução no número de quartos, passando de 18 mil para 15 mil. Agora, resta saber se haverá cortes em locais de competição ou em áreas operacionais.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima