Lewis Hamilton diz que precisou lutar “contra os demônios” para conquistar o hexacampeonato

Lewis Hamilton diz que precisou lutar "contra os demônios" para conquistar o hexacampeonato

Londres, Inglaterra – Lewis Hamilton conquistou o hexacampeonato mundial de Fórmula 1 com dez vitórias em 19 corridas e três provas de antecipação. Mas, para quem pensa que foi fácil chegar a esses números, o piloto da Mercedes garante que não. Hamilton disse que precisou superar muitas questões, inclusive de autoconhecimento para triunfar nas pistas.

“Tentei mostrar às pessoas que, de fora, as coisas sempre parecem ótimas, mas nem sempre é o caso. E também estou lutando com muitas coisas diferentes, lutando contra certos demônios e tentando me certificar de que estou constantemente crescendo como pessoa”, disse Hamilton.

O hexacampeão comentou ainda que, além das dificuldades dentro da pista, houve diversas outras circunstâncias que ele teve de superar, sobretudo o falecimento de Niki Lauda, presidente não executivo da Mercedes e principal responsável pela sua contratação, no fim de 2012:

“A montanha-russa emocional na qual perdemos Niki, houve uma corrida em que eu não tinha Bono (Peter Bonnington, engenheiro de corrida) aqui, houve outros fatores fora do carro… Fiquei tentando manter o foco durante todo o percurso. Esse foi o ano mais difícil.

Outro momento difícil foi a morte do francês Anthoine Hubert numa corrida da Fórmula 2. Em Spa-Francorchamps, Hamilton dava uma entrevista quando viu o acidente pelo telão. O inglês admitiu ter feito uma reflexão sobre seu futuro nas pistas.

“Vi na TV, vi acontecer. Quando algo assim acontece, há muitas dúvidas em sua mente e você luta contra isso e evita pensar: “OK , caramba, é hora de parar ou devo continuar?” É porque há muita vida depois, ainda quero passar um tempo com minha família, ainda quero ter uma família um dia, todas essas coisas diferentes”, garantiu.

Apesar dessas dificuldades, Lewis Hamilton ainda se vê por um longo período na Fórmula 1. O inglês, que completa 35 anos em janeiro, ainda tem mais um ano de contrato com a equipe Mercedes.

“Estou trabalhando em uma obra-prima e ainda não a terminei. Estou tentando entender… Demora muito tempo para dominar um ofício e, embora eu sinta que estou dominando-o , ainda há mais para dominar. Ainda há mais peças a serem adicionadas ao quebra-cabeça. Haverá mais altos e baixos ao longo do caminho, mas sinto que agora tenho as melhores ferramentas para lidar com elas”, finalizou.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima