Now Reading
Comitê Paralímpico Internacional restabelece Rússia




Comitê Paralímpico Internacional restabelece Rússia

Comitê Paralímpico

O Comitê Paralímpico Internacional suspenseu o Comitê Paralímpico Russo, em 2016, por envolvimento em manipulação de testes antidoping

O Comitê Paralímpico Internacional (IPC) está pronto para restaurar a adesão do Comitê Paralímpico Russo (RPC), a partir de 15 de março deste ano.

Esta decisão foi anunciada pelo presidente da IPC, Andrew Parsons, durante conferência de imprensa em Bonn, Alemanha, onde estavam reunidos os membros do conselho executivo da entidade para discutir o destino do RPC.

A decisão de reintegrar o RPC ao IPC, sob condições estritas, foi tomada pelo Conselho Diretor da IPC depois que a Rússia cumpriu 29 meses de suspensão e acatou 69 dos 70 critérios de reativação originalmente impostos pela IPC, em novembro de 2016.

De acordo com o Grupo de Trabalho do IPC – nomeado para ajudar o IPC a avaliar o progresso do RPC no cumprimento dos critérios de reintegração -, o único critério que não foi atendido é a provisão de uma resposta oficial que dê conta das descobertas feitas pelo Professor McLaren.

Abaixo, estão listados algumas questões que a Rússia precisou resolver para ser restabelecida junto ao Comitê Internacional de esportes paralímpicos.

• Implementar um robusto programa de testes de paratletas russos, sob a supervisão da WADA

• Lançamento de um novo programa de educação antidoping destinado aos paratletas e treinadores.

• Reformas de governança, que significam que nenhum funcionário do governo pode ser nomeado para qualquer papel dentro do RPC.

• Introdução de uma nova linha telefônica para denúncias, na qual os paratletas, treinadores e oficiais podem relatar quaisquer suspeitas que tenham em relação ao antidoping.

• Atualização das regras antidoping do país.

• Reintegração da RUSADA (Agência Antidoping da Rússia) pela WADA (Agência Mundial Antidoping).

• Restituição de valores ao IPC relacionada à suspensão e testes adicionais de paratletas russos.

Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Internacional, em 2016, durante coletiva de imprensa.
Andrew Parsons, presidente do CPI, em 2016, durante coletiva de imprensa.

O presidente da IPC afirmou que os esforços para a manutenção e um movime

nto paralímpico justocontinuam e advertiu que, em caso de novas descobertas, “agirá rapidamente para garantir que sejam tomadas as medidias adequadas”:

“Com o fim da suspensão, continuaremos a monitorar a implementação de um novo programa antidoping na Rússia, ao mesmo tempo em que forneceremos uma maneira mais clara e rigorosa para os paratletas limpos da Rússia competirem nos evento internacionais. Essas condições continuam a destacar e a salvaguardar a importância e o valor que o Conselho Diretor do IPC dá à proteção de atletas limpos contra medidas corruptas que ameacem a integridade do Movimento Paraolímpico”.

“Se, em algum momento, durante o próximo quadriênio, essas condições não forem totalmente atendidas, estou confiante de que, assim como fizemos em agosto de 2016, o Conselho Diretor do IPC agirá rapidamente para garantir que sejam tomadas as medidas adequadas”, completou.

View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

© 2018-2020 Agência Olímpica.