Esgrima: Bia Bulcão é bronze no florete em Lima

Esgrima: Bia Bulcão é bronze no florete em Lima

O Time Brasil faturou a primeira medalha na competição de esgrima dos Jogos Pan-americanos Lima 2019. E foi uma medalha histórica. A primeira de uma brasileira na prova do florete. Bia Bulcão conquistou o bronze ao chegar até a semifinal e ser derrotada pela americana Lee Kiefer por 15 a 3. Como na modalidade não há disputa pela terceira posição, a brasileira garantiu o lugar no pódio.

“Ainda nem entendi que ganhei uma medalha (risos). Treinei muito, mas os resultados ainda não tinham aparecido. Mas eu sei que na esgrima é assim. Lutei pensando apenas em vencer e estou muito feliz”, revelou a medalhista pan-americana.

A campanha de Bia foi baseada na recuperação. Pelo grupo C, ela estreou com derrota para a peruana Paola Piñero por 5 a 3, depois se recuperou diante da argentina Lucia Ondarts por 5 a 3 e conseguiu nova vitória, pelo mesmo placar, sobre Ivania Barrera, de El Salvador. Ainda na primeira fase, acabou derrotada pela americana Jacqueline Dubrovich por 5 a 1 e pela canadense Eleanor Harvey por 4 a 2, se classificando para a fase eliminatória.

Nas oitavas de final, conseguiu a revanche contra Paola Piñero, vencendo por 15 a 13. Nas quartas-de-final, superou a mexicana Nataly Michel Silva por 15 a 13. Mas na semifinal, acabou caindo para a americana Lee Kiefer por 15 a 3 e garantindo o terceiro lugar.

Gabriela Cecchini, a outra brasileira na prova, avançou na fase de grupos com duas vitórias e três derrotas. Nas oitavas-de-final, venceu a americana Jaqueline Dubrovich por 15 a 13, mas nas quartas de final acabou perdendo para a canadense Jessica Guo por 15 a 6.

No masculino, foi disputada a competição de espada. E os brasileiros caíram para os venezuelanos Limardo Gascon. Athos Schwantes foi quem chegou mais longe, caindo nas quartas para Jesus Limardo Gascon por 15 a 4. Nicolas Ferreira foi derrotado na fase anterior por Ruben Limardo Gascon por 15 a 11.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima