Jacques Rogge, ex-presidente do COI, morre aos 79 anos

Ele presidiu a instituição entre 2001 e 2013 e era seu presidente honorário

Lausanne, Suíça – Morreu, no último domingo (29), Jacques Rogge, ex-presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), aos 79 anos. Ele presidiu a instituição entre 2001 e 2013 e era seu presidente honorário.

As informações são do próprio COI. Ele deixa a mulher, Anne, dois filhos e dois netos. A causa da morte não foi divulgada.

Nascido na Bélgica, Rogge era cirurgião ortopédico especializado em medicina esportiva.

Na juventude, entrou na vida esportiva como jogador de rugby. Rogge chegou à seleção belga, mas se encontrou mesmo na vela, esporte em que foi 16 vezes campeão nacional e campeão mundial.

Ele competiu em três Jogos Olímpicos na vela, em 1968, 1972 e 1976, mas saiu sem medalhas. Antes do COI, foi presidente do Comitê Olímpico Belga (1989-1992) e da Europa (1989-2001).

À frente do Comitê Internacional em 2009, ele foi um dos entusiastas para a realização as Olimpíadas do Rio, em 2016, realizado quando ele não era mais presidente. Em 2002, nas Olimpíadas de Inverno de Salt Lake (EUA), ele se tornou o primeiro presidente do COI a se hospedar na Vila Olímpica, em meio aos atletas.

“Primeiro e acima de tudo, Jacques amava esportes e estar entre os atletas. Ele transmitia essa paixão para todos que o conheciam. Sua alegria pelo esporte era contagiosa”, afirma Thomas Bach, atual presidente do COI, em nota.

“Ele foi um presidente comprometido, que ajudou a modernizar e transformar o COI. Ele era um grande defensor do esporte limpo, que lutou incansavelmente contra os maus do doping”, diz Bach.

Segundo o comitê, o funeral será particular, voltado a família e amigos, e um memorial será construído para homenageá-lo ainda neste ano.

Recentes