No Japão, Brasil está em três finais do mundial de revezamentos

Data:

Com os 100% de aproveitamento, os fãs do atletismo podem assistir às finais da competição pelo SporTV 3 neste domingo

As equipes brasileiras 4x100m masculina e feminina e 4x400m misto brilharam na qualificação deste sábado (11) do Campeonato Mundial de revezamentos, em Yokohama, no Japão. Os três grupos competiram logo na primeira série de suas provas, terminaram na segunda colocação, garantiram vaga para as finais deste domingo (12) e a classificação para o Mundial de Doha, no Catar, no final de setembro e início de outubro.

Formado por Rodrigo Nascimento, Jorge Henrique Vides, Derick Souza e Paulo André Oliveira, o 4×100 m completou a prova em 38.22, o melhor resultado do ano e o segundo melhor das três séries eliminatórias. O Brasil só foi superado pela Grã-Bretanha, que fez 38.11, estabelecendo a melhor marca da temporada mundial.

- Advertisement -

“A gente vem treinando muito bem, o grupo é bem unido então a gente só provou – provamos para nós mesmos – o que a gente vem fazendo nos treinos. A gente está na final e feliz por termos conquistado a vaga para Doha”, comentou Paulo André.

Jorge Vides e Rodrigo acham que as passagens de bastão podem melhorar. “A minha passagem para o Rodrigo pode ser mais rápida. Eu já falei com ele. Eu não acelerei tão bem na passagem, mas na final a gente vai pra cima”, disse Jorge. “Dá para melhorar e vamos chegar com mais confiança sabendo que podemos brigar por medalha”, completou Rodrigo.

Derick não esconde a sua confiança. “A gente vem treinando muito bem desde os Estados Unidos. Mas nas competições não estava encaixando. Graças a Deus encaixou desta vez. Vamos tentar pegar uma medalhinha e bater o recorde sul-americano”, lembrou Derick, referindo-se aos 37.90, obtido pela Seleção Brasileira nos Jogos de Sydney 2000.

No feminino, o Brasil, formado por Andressa Fidélis, Lorraine Martins, Franciela Krasucki e Vitória Rosa, obteve 43.07, também o melhor resultado do ano. Na série, foi superado pelos Estados Unidos, com 42.51. No geral, a Alemanha ficou em segundo lugar, com 43.03. O Brasil vai para a final com o terceiro tempo.

“A gente passou até mais fácil do que imaginei. Estávamos numa série forte, tínhamos de acertar tudo. E conseguimos passar em segundo com a melhor marca do ano, mas ainda tem alguns ajustes que tem de ser feitos para a final”, comentou a experiente Franciela.

Lorraine concorda. “Dá para dar uma melhorada, é ajustar a marca. Mas a gente está muito feliz com o resultado e por ter ido à final”, disse. “Todas correram bem, deram o seu máximo, acredito eu. E eu estou superfeliz”, comentou Andressa.

Já Vitória, satisfeita com a vaga na final e no Mundial, acredita que o grupo pode sonhar mais alto. “A gente não pode deixar de sonhar. O objetivo nosso era ir para a final. Agora que já estamos na final é correr atrás da medalha”, afirmou.

4×400 m misto, recorde sul-americano

No revezamento 4×400 m misto, que o Brasil disputa pela primeira vez na categoria adulta, a equipe teve Lucas Carvalho, Tiffani Marinho, Cristiane Silva e Alexander Russo. O grupo completou os 1.600 m em 3:18.26, estabelecendo o recorde brasileiro e sul-americano para a prova. Geisa Coutinho, principal corredora de 400 m do Brasil, sentiu desconforto muscular e está fora do Mundial.

A vitória na série foi da Bélgica, com 3:18.03, enquanto a Jamaica terminou em terceiro lugar, com 3:18.47. “Foi uma chegada difícil, mas queria agradecer a Deus pela oportunidade de representar o Brasil aqui no Mundial. Eu não tenho muitas palavras para descrever, só a sensação incrível de entrar na pista, dar o sangue e na hora da disputa pensei que a gente merecia”, disse Alexander, que defendeu bem a segunda posição.

Já Lucas e Tiffani entregaram o bastão na primeira colocação. “Abrir a prova da uma angústia. Tem de esperar cada um correr, mas fica na torcida sempre”, garantiu. “Estou muito feliz de estar aqui no meu primeiro Mundial, nessa equipe maravilhosa. Estou com muita gratidão no meu coração por tudo”, lembrou Tiffani.

Cristiane mostrou feliz por superar as dificuldades técnicas da prova. “A gente treinou bastante para a passagem de bastão, que é diferente numa prova nova para a gente. A gente se uniu bem e graças a Deus está na final”, afirmou.

Com os 100% de aproveitamento, os fãs do atletismo podem assistir às finais da competição pelo SporTV 3 neste domingo. O 4×400 m misto está marcado para as 7:53, enquanto o 4×100 m feminino será às 8:37 e o masculino, às 8:52, fechando a competição da IAAF – todos pelo horário de Brasília.

- Advertisement -
Gabriel Lima
Gabriel Lima
Gabriel Lima é jornalista, formado pela Universidade Federal do Pará. Já participou da cobertura dos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, 2018. Na ocasião, esteve responsável pelas notícias e atualizações da ginástica artística.

Compartilhe

Recentes