Brasil na reta final da preparação para o Mundial de Revezamentos de Yokohama

Data:

Os atletas permanecem na Universidade de Rikkyo, em Saitama, uma das bases para a Olimpíada de 2020, até quinta-feira (9)

Os 16 atletas brasileiros que disputam o Mundial de Revezamentos de Yokohama, no Japão, entre 11 e 12 de maio, do 4×100 m, masculino e feminino, e do 4×400 m misto, a nova prova do programa olímpico, ficam em Saitama até o dia 9, treinando nesta fase de preparação final.

Após um período de treinamento e competições em Chula Vista, Estados Unidos, os brasileiros chegaram ao Japão na quarta-feira (1). Estão na Universidade de Rikkyo, em Saitama, inaugurando a preparação do Brasil no país asiático no ano pré-olímpico.

- Advertisement -

A universidade será uma das bases de apoio montada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) para receber atletas nesta temporada e a aclimatação às Olimpíadas de Tóquio no ano que vem.

“O hotel fica perto da Universidade e o café da manhã é muito bom. Foi excelente a participação de nossa equipe na interação com 150 crianças que correram, fizeram fotos e perguntas. Os nossos atletas já treinaram bem nos últimos dias e o grupo está motivado”, relatou o treinador-chefe Carlos Alberto Cavalheiro.

Estão em Saitama os atletas Paulo André Camilo de Oliveira, Vitor Hugo Silva Mourão dos Santos, Derick de Souza Silva, Jorge Henrique da Costa Vides e Rodrigo Pereira do Nascimento do 4×100 m Vitória Cristina Silva Rosa, Franciela das Gracas Krasucki Davide, Ana Carolina de Jesus Azevedo, Lorraine Barbosa Martins e Andressa Moreira Fidelis, do 4×100 m Geisa Aparecida Muniz Coutinho, Tiffani Beatriz Domingos Marinho, Cristiane Silva, Lucas da Silva Carvalho, Alexander Russo e Hugo Balduino de Sousa, do 4×400 m misto.

E ainda os treinadores Felipe de Siqueira da Silva e Evandro Lazari, além dos integrantes de equipe multidisciplinar.

A qualificação para o Mundial de Doha no Catar, de 27 de setembro a 6 de outubro, é o objetivo das equipes brasileiras em Yokohama.

“Precisamos terminar entre os oito. Aí é botar a cabeça no travesseiro e pensar só no Catar”, afirmou o técnico Felipe de Siqueira da Silva, do 4×100 m masculino. Se não conseguir a qualificação agora o Brasil terá até o dia 6 de setembro para fazer um resultado que coloque a equipe entre as 16 melhores do mundo.

“O 4×400 m misto terá sua primeira participação em um Mundial, em Doha, no fim de setembro. No Mundial de Revezamentos, o 4×400 m misto entrou em 2017. Vamos tentar classificação para Doha e já na expectativa para os Jogos Olímpicos numa prova nova. As 12 melhores equipes desse Mundial se classificam para Doha”, disse Evandro Lazari.

- Advertisement -
Gabriel Lima
Gabriel Lima
Gabriel Lima é jornalista, formado pela Universidade Federal do Pará. Já participou da cobertura dos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, 2018. Na ocasião, esteve responsável pelas notícias e atualizações da ginástica artística.

Compartilhe

Recentes