Líder da oposição japonesa diz que é impossível realizar a Olimpíada com segurança

  • Yukio Edano disse que é impossível "proteger a vida, a saúde e os meios de subsistência do povo japonês durante as Olimpíadas e Paraolimpíadas"

Tóquio, Japão – O líder do principal partido de oposição do Japão disse nesta segunda-feira (10) que não tem como realizar a Olimpíada de Tóquio com segurança neste ano e questionou o primeiro-ministro do país, Yoshihide Suga, sobre as garantias das medidas contra a covid-19 que estarão em vigor.

“Infelizmente, temos que admitir que é impossível proteger a vida, a saúde e os meios de subsistência do povo japonês durante as Olimpíadas e Paraolimpíadas”, disse Yukio Edano, chefe do Partido Democrático Constitucional do Japão, em uma sessão parlamentar.

As infecções aumentaram no Japão nas últimas semanas, levando o governo a estender o estado de emergência que cobre Tóquio e outras prefeituras até o final de maio.

Com início previsto para 23 de julho, os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos levarão dezenas de milhares de atletas e equipe técnica ao Japão, mas serão realizados sem espectadores estrangeiros.

“Seria inaceitável se seguir em frente com os jogos levasse a medidas insuficientes que permitissem que novas variantes do coronavírus fossem trazidas do exterior”, disse Edano.

Ele disse em uma transmissão online no domingo que permitir a entrada de atletas e equipe técnica pareceria uma “exibição” de variantes altamente contagiosas descobertas na Grã-Bretanha, África do Sul e Índia, acrescentando que eles não deveriam estar isentos de um período de quarentena ao entrar no Japão.

Suga disse na sessão parlamentar de hoje que os visitantes olímpicos seriam obrigados a seguir as diretrizes estritas da covid-19, incluindo testes diários e distanciamento social.

“É minha responsabilidade implementar tais medidas para salvaguardar a vida e a saúde do povo japonês e fazer tudo o que puder para termos Jogos seguros”, disse ele.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 foram adiados em um ano por causa da pandemia de covid-19. Se não forem novamente adiados, ou cancelados, o megaevento deve ocorrer entre 23 de julho e 8 de agosto.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima