notícia e opinião sobre esporte

Imbatível há 24 anos no Pan, seleção feminina de handebol estreia com vitória

A Seleção feminina de handebol começou de forma consistente a campanha rumo à classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Nesta quarta-feira (24), a equipe venceu Cuba por 29 x 20, na partida de estreia válida pelo Grupo A dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, no Peru. A equipe volta à quadra nesta quinta-feira (25) para enfrentar o Canadá, a partir das 22h30 de Brasília.

No Ginásio Polideportivo 1 da Villa Deportiva Nacional, a seleção comandada pelo espanhol Jorge Dueñas enfrentou dificuldades no primeiro tempo para furar o bloqueio das cubanas, mas mostrou superioridade na segunda parte e confirmou o favoritismo no torneiro continental.

Atual pentacampeã, a seleção feminina, que conta com seis atletas campeãs mundiais em 2013, vai atrás do sexto título consecutivo. A última vez que a seleção perdeu foi nos Jogos de Mar del Plata, em 1995, na Argentina. A competição em 2019 é estratégica para o país, já que a equipe campeã garante vaga nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

“A cada Pan tenho a sensação de que nunca joguei a competição. Sempre vem o sentimento de estreia, com frio na barriga. Sabemos da importância do Pan, porque garante vaga direta para os Jogos de Tóquio 2020. Nós buscamos a vaga a cada ciclo. Sabemos da responsabilidade de vencer para garantir um lugar em Tóquio. Espero que a gente consiga o título para realizar o sonho de buscar uma medalha olímpica em 2020″, afirmou Deonise Fachinello.

A partida

Brasil enfrentou na estreia a equipe mais difícil da fase de grupos. A partida começou equilibrada. O Brasil teve dificuldade para superar o paredão cubano comandado por Arisleidy Márquez. A equipe caribenha manteve a liderança do placar durante boa parte do primeiro tempo. Cuba fez o primeiro gol com Jennifer Toledo. Em seguida, no lance de sete metros, Eyatne Rizo ampliou. A reação brasileira começou nas mãos de Bruna de Paula. Em menos de dois minutos a jovem marcou dois gols, igualando a partida.

O Brasil conseguiu virar o placar com Duda Amorim na metade do primeiro tempo, ao marcar 7 x 6. Após assumir a liderança, Brasil conseguiu administrar a vantagem até o final do primeiro tempo, quando fechou com 13 x 9. “Teve aquele peso de estreia. A gente sabia que seria um jogo difícil, pois Cuba é uma equipe forte. Sabíamos que iríamos ter algumas dificuldades para encaixar no jogo”, afirmou Mariana Costa, autora de quatro gols ao longo da partida.

No segundo tempo, a seleção encontrou a estratégia mais certa para dominar as rivais. Bruna de Paula converteu dois gols seguidos e ampliou a vantagem nacional para 15 x 9. Não demorou para o Brasil assumir o controle, ampliar a vantagem e fechar com 29 x 20, com seis gols de Bruna de Paula, artilheira da partida. “A gente sabia que teríamos que entrar duro, porque elas também entrariam forte. No segundo tempo, a gente girou melhor a bola e conseguimos ampliar”, disse Bruna de Paula, estreante em Jogos Pan-Americanos.

Leia também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao continuar usando este site, você concorda com a utilização de cookies. AceitarLeia mais