Caio Bonfim reclama de desclassificação e diz que “espírito olímpico não existe mais”

O marchador brasileiro Caio Bonfim usou o Instagram para manifestar o descontentamento com a sua declassificação nos Jogos Mundiais Miliares, na China. Neste domingo (27), o atleta de 28 anos escreveu que “o espírito olímpico não existe mais” ao reclamar de um suposto beneficiamento à China. Caio apagou a publicação horas depois.

O caso aconteceu durante a final dos 20 km da marcha atlética. Caio, que liderava a final e estava a menos de 20 metros da linha de chegada, recebeu um cartão vermelho e foi eliminado da prova. Com a sua desclassificação, o local Hao Xu conquistou a medalha de ouro. Viktor Shumik, da Ucrânia, foi prata e Miroslav Úradnik, da Eslováquia, bronze.

“Quando em uma prova você marcha 19.980 metros e os oito árbitros (todos chineses) não te dão falta o árbitro chefe decide te dar cartão vermelho direto aí você vê que o espírito olímpico não existe mais, nem em competição militar”, postou no Instagram.

“A torcida me aplaudiu, e não o chinês. Um dos árbitros me pediu desculpas. Sim, algo de errado aconteceu. Já não bastava a seleção chinesa de orientação ser desclassificada por ter acesso aos mapas antes das provas. E a descoberta de uma atleta chinesa de 70kg lutando entre as de 50kg”, acrescentou.

A mensagem, assim como o exato momento da desclassificação do brasileiro, foi reproduzida no Twitter pelo Surto Olímpico. Veja:

 

Leia também

Comente esta notícia

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao continuar usando este site, você concorda com a utilização de cookies. AceitarLeia mais