US Open: Daniil Medvedev lamenta ausência de Novak Djokovic: ‘É uma pena’

Data:

Nova York (EUA) – Um ano atrás, o russo Daniil Medvedev conquistou seu primeiro título de Grand Slam ao vencer o sérvio Novak Djokovic na final do US Open. Agora, ele chega para defender o título do torneio como número 1 do mundo, enquanto ‘Nole’ não poderá competir porque não foi liberado para entrar nos Estados Unidos por não ter se vacinado contra a Covid-19. O líder do ranking lamentou sua ausência.

“Eu gostaria que ele jogasse aqui, vimos como foi em Wimbledon. Ele não jogou muitos torneios este ano, mas chegou lá e ganhou. É uma pena que não esteja aqui, seria uma ótima história para o tênis. Sinto que a rivalidade com Rafa (Nadal) está esquentando de certa forma: 22 a 21 é uma piada esse número de títulos. Mas é a regra do governo americano, então é completamente compreensível”, comentou Medvedev.

- Advertisement -

Questionado sobre a chave do US Open deste ano parecer bem aberta, sem um grande favorito ao título e com alguns dos fortes candidatos podendo se encontrar já nas quartas, o russo disse não se preocupar tanto. “Falando do meu ponto de vista, eu só quero jogar bem, tentar ganhar o maior número de partidas possível. Não importa o adversário, não importa a chave”.

Voltando ao palco de sua maior conquista depois de um ano, Medvedev falou também sobre qual foi o momento mais duro nesse período. “Se tivesse que falar apenas uma coisa como a mais importante, com certeza diria que o Australian Open foi difícil. Quero dizer, a final do torneio, porque foi uma derrota difícil. Eu queria muito ganhar, mas Rafa jogou muito bem nos últimos três sets”, falou o líder da ATP.

A diferença entre as bolas do masculinas e femininas foi outro assunto abordado pelo russo, que afirmou gostar das bolas do US Open Wilson. “Ao mesmo tempo, odeio as bolas em Indian Wells e Miami e gostaria que trocassem essas bolas, mas não funciona assim. É sempre uma situação complicada. Imagine que eles coloquem uma bola masculina no US Open feminino, então haverá também alguém que não irá gostar”, analisou.

Medvedev foi só elogios ao comentar a aposentadoria de Serena Williams. “Interagimos poucas vezes. Quando peguei a raquete pela primeira vez, tinha 6 anos e não lembro quando comecei a ver tênis na TV, mas Serena já estava lá. Toda vez que a via pessoalmente, tinha essa energia lendária ao redor dela. Tenho certeza de que em cem anos ainda vamos falar sobre Serena Williams”, encerrou o russo.

- Advertisement -
Gabriel Lima
Gabriel Lima
Gabriel Lima é jornalista, formado pela Universidade Federal do Pará. Já participou da cobertura dos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, 2018. Na ocasião, esteve responsável pelas notícias e atualizações da ginástica artística.

Compartilhe

Recentes