De virada, Bia Haddad Maia vence o W60 de Collonge-Bellerive

Cabeça de chave número 3, ela perdeu o primeiro set para a lucky-loser turca Ipek Oz, mas buscou a virada e venceu com parciais de 5/7, 6/1 e 6/4

Collonge-Bellerive, Suíça – Não foi fácil para a paulista Beatriz Haddad Maia na final do W60 de Collonge-Bellerive deste domingo. Cabeça de chave número 3, ela perdeu o primeiro set para a lucky-loser turca Ipek Oz, mas buscou a virada, venceu com parciais de 5/7, 6/1 e 6/4 e comemorou o título no saibro suíço.

Este é o 16° título da carreira profissional de Bia, sendo o quarto só em 2021. Ela já havia vencido outros dois torneios no saibro, em Córdoba e Buenos Aires na Argentina, e outro no piso duro de Montemor, em Portugal. Todos aqueles torneios eram W25.

O começo da partida não foi favorável à brasileira, que perdeu o saque logo no primeiro game. Ela até conseguiu devolver a quebra para fazer 5/5, mas voltou a amargar um break na sequência, viu Oz fazer 6/5 e então sacar para o primeiro set. Bia salvou um set-point, teve dois break-points, mas no final sucumbiu diante da turca, que largou na frente.

Ao contrário do que aconteceu na parcial inicial, na qual Bia ficou atrás o tempo todo no placar, na segunda foi ela que comandou do princípio ao fim. A canhota paulista abriu 2/0 de cara, chegou a sofrer uma quebra no terceiro, mas depois do 2/1 foi dominante e venceu os quatro games seguintes para empatar o jogo.

No terceiro e decisivo set, mais uma vez quem saiu na frente acabou levando. Assim como fizera no segundo, Bia também marcou 2/0 na largada, mas desta vez não deixou a vantagem escapar. Ela salvou dois break-points no quarto game e fechou no terceiro match-point que teve a seu favor, marcando 6/4 para fechar a partida em 2h49 de duelo.

Com a conquista desta semana, Bia receberá 96 pontos e dará um salto de 28 colocações no ranking e subirá pelo menos para o 146º lugar na próxima atualização da lista, que será divulgada logo após o US Open. Ela precisa ainda de pelo menos mais 303 pontos para retornar ao top 100, faixa de ranking na qual não figura há exatos dois anos.

Bia já acumula 51 vitórias na temporada, considerando todos os níveis de competição. A paulista de 25 anos tem disputado um grande número de torneios em busca da recuperação no ranking e tentando voltar ao grupo das cem melhores do mundo. A melhor marca de sua carreira foi o 58° lugar.

Recentes