Stefanos Tsitsipas se defende e diz que não fez nada de errado: ‘Não entendo as vaias’

O número 3 do mundo tem sido constantemente criticado pelas longas pausas que provoca nas partidas quando está perdendo

Nova Iorque, EUA – Mais uma vez a longa pausa para ir no banheiro roubou a cena na entrevista coletiva do grego Stefanos Tsitsipas após sua segunda vitória no US Open. O número 3 do mundo foi bombardeado com questões sobre o assunto, chegou ele inclusive a questionar os jornalistas e o moderador teve que intervir mais de uma vez.

Tsitsipas começou dizendo que, após toda a questão envolvendo o britânico Andy Murray, que reclamou de sua demora no duelo entre eles na estreia em Nova York, pensou sim em ser mais rápido. Contudo, ainda assim levou mais de sete minutos fora de quadra após perder o terceiro set para o francês Adrian Mannarino, que venceu por 6/3, 6/4, 6/7 (4-7) e 6/0.

“Gostaria de saber: qual é a regra? As regras existem para serem seguidas, não? Se eu quebrar uma regra, claro que vou ser culpado, mas se estou seguindo as diretrizes, qual é o problema?”, questionou o grego, logo antes de o moderador interpelar pela primeira vez. Mas então foi Tsitsipas que resolveu fazer uma pergunta.

“Eu não sou de cuidar da vida de outras pessoas, mas me lembro de assisti-lo quando era mais jovem. Você pode, por favor, verificar quando Andy Murray enfrentou Novak Djokovic na final aqui, antes do quinto set, naquele intervalo, você poderia dar uma olhada quanto tempo ele demorou e me avisar na próxima vez?”, disparou Tsitsipas.

O jornalista questionado pelo grego respondeu que já havia pesquisado antes e que foram menos de três minutos. “Menos de três minutos, tudo bem. Então, mais três minutos fazem a diferença?”, rebateu o número 3 do mundo. Veio então outra interferência do moderador para esfriar os ânimos e abrir espaço para eventuais outras questões.

Tsitsipas falou então sobre seu próximo rival, o jovem espanhol Carlos Alcaraz. “Ele é um jovem talento que tem se saído muito bem recentemente, vem melhorando constantemente e subindo no ranking. Tem um bom jogo para todas as superfícies e o vejo como um potencial candidato para títulos de Grand Slam e outros grandes eventos no futuro”, analisou.

Contudo, as críticas às longas pausas do grego voltaram à pauta. “São apenas minhas necessidades pessoais. Alguns jogadores levam, como sabemos, muito mais do que 25 segundos entre os pontos, o que é justo e acontece de verdade. Não tenho nada contra qualquer adversário e nunca reclamo do que os outros fazem”, comentou Tsitsipas.

“Desde criança, meus pais me ensinaram a não cuidar dos negócios dos outros e me concentrar em mim mesmo. Simplesmente não entendo quando alguns jogadores criticam os outros jogadores ou colocam muita ênfase nisso durante a partida. O jogo é o jogo. Fiz tudo da maneira certa e se não tivesse feito deveria ser penalizado”, acrescentou o grego, que também falou sobre as vaias dos fãs.

“Não fiz nada de errado, então não entendo. Não tenho nada contra eles, amo os fãs, mas algumas pessoas não entendem, não jogaram tênis em alto nível para saber quanto esforço e como é difícil fazer o que estamos fazendo. Às vezes, precisamos de uma pequena pausa para continuar bem em quadra”, finalizou.

Últimas notícias

Related Articles