Ashleigh Barty passa fácil por Angelique Kerber e faz final inédita em Wimbledon

  • Australiana chega pela primeira vez à final do Grand Slam londrino; Ela espera pela vencedora da segunda semifinal, entre Aryna Sabalenka e Karolina Pliskova

Londres, Inglaterra – A número 1 do mundo Ashleigh Barty se impôs na primeira semifinal de Wimbledon nesta quinta-feira. A australiana teve pela frente uma dura partida contra a alemã Angelique Kerber, campeã do torneio em 2018, e conseguiu arrancar uma boa vitória em sets diretos, anotando placar final de 6/3 e 7/6 (7-3), depois de 1h29 de confronto.

Em sua primeira final da carreira no All England Club, a australiana terá pela frente a vencedora da partida entre Karolina Pliskova e Aryna Sabalenka. Ela tem confortável vantagem no retrospecto contra a tcheca, com cinco vitórias e apenas duas derrotas, mas o histórico de duelos com a bielorrussa é apertado, com quatro triunfos para cada lado.

Barty venceu pela 34ª vez na temporada e igualou o número de triunfos de Sabalenka, que pode voltar a se isolar como a maior vencedora de 2021 se superar Pliskova na outra semi. A australiana pode conquistar seu quarto título no ano, tendo erguido já as taças de Yarra Valley, Miami e Stuttgart.

Campeã juvenil no All England Club em 2011, triunfando com apenas 15 anos de idade, Barty tenta se tornar apenas a quarta tenista a ter também o título no profissional, algo que apenas Ann Jones, Martina Hingis e Amélie Mauresmo conseguiram até então. Campeã de Roland Garros em 2019, ela também pode se tornar a 11ª tenista com mais de uma conquista de Grand Slam.

No duelo entre a terceira jogadora em atividade com mais vitórias na grama (Kerber) e a terceira em atividade com melhor aproveitamento neste piso (Barty), a australiana começou melhor e venceu os três primeiros games da partida. Ela administrou bem a quebra de vantagem conquistada logo na largada e com ela foi até o final.

O segundo set teve um início parecido, só que com papeis invertidos, desta vez Kerber foi quem abriu 3/0 de cara e se manteve na frente até a reta final. Só que a alemã foi quebrada de zero ao sacar para o set e a definição foi para o tiebreak, em que Barty dominou as ações e até se deu ao luxo de deixar escapar três match-points para selar a vaga na final apenas no quarto.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima