Thiem se sentiu ‘como um goleiro defendendo pênaltis’ ao encarar saques de Isner

  • Thiem derrotou Isner nas quartas de final do Masters 1000 de Madri na última sexta-feira

Madri, Espanha – O austríaco Dominic Thiem falou sobre o desafio que foi devolver os saques do americano John Isner nas quartas de final do Masters 1000 de Madri. O número 4 do mundo também admitiu que ficou “surpreso” por ter conquistado uma vaga na semifinal do torneio espanhol.

“Enfrentar o saque de Isner é como um goleiro que enfrenta um pênalti. Se ele se posicionar bem, se tiver a velocidade certa, simplesmente não há tempo para reagir”, disse Thiem em entrevista após a partida.

“Você tem que adivinhar ou torcer para que ele tenha errado o primeiro saque. É pura sorte devolvê-lo. É 50/50. É por isso que é tão difícil”.

“Você chega perto, devolve, o que é inacreditavelmente difícil, principalmente aqui no saibro em altitude, ou você vai cinco, seis metros atrás da linha de base. Ele tem muito tempo para entrar [na] rede. É incrivelmente difícil devolver”.

“Estou satisfeito com tudo [no] meu jogo. Joguei com três adversários muito diferentes. Tudo está funcionando muito bem. O saque foi muito bom o tempo todo. O retorno hoje, especialmente em algumas partes do jogo, foi muito bom”.

“Acho que estou no [caminho] certo, definitivamente. Mas ainda há muitas coisas para melhorar, voltando 100 por cento ao ritmo de jogo, antecipação e tudo. Estou surpreso por estar na semifinal”.

Thiem triunfou sobre o americano por 3-6, 6-3 e 6-4, na última sexta-feira, e hoje encara o alemão Alexander Zverev, antigo rival e para quem perdeu a final do Masters de Madri em 2018.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima