Artigo atual
Stefanos Tsipsipas: ‘Eu voei como um pássaro e tudo funcionou para mim’




Stefanos Tsipsipas: ‘Eu voei como um pássaro e tudo funcionou para mim’

  • O grego falou sobre o que precisou fazer para conseguir a incrível virada na batalha de cinco sets desta quarta-feira (17)

Melbourne, Austrália – Responsável por eliminar Rafael Nadal nas quartas do Australian Open, Stefanos Tsitsipas falou sobre o que precisou fazer para conseguir a incrível virada na batalha de cinco sets desta quarta-feira (17). Para o grego, o principal trunfo para a vitória foi jogar solto, sem pensar tanto nas consequências de cada ponto, e assim elevar o seu nível de tênis.

“Não tenho palavras para descrever o que acabou de acontecer na quadra, meu tênis fala por si”, disse Tsitsipas após a vitória por 3/6, 2/6, 7/6 (7-4), 6/4 e 7/5 em 4h03 de partida.

“É uma sensação incrível lutar em um nível tão alto e deixar tudo em quadra. Comecei muito nervoso. E não sei o que aconteceu depois do terceiro set. Eu voei como um pássaro e tudo funcionou para mim”.

“O fato é que eu não estava realmente pensando em muitas coisas. Como eu descreveria o que estava passando pela minha cabeça? Nirvana. Apenas jogando, e não pensando”, afirmou o jovem jogador de 22 anos, que alcança sua segunda semifinal de Grand Slam na carreira.

“Antes eu estava muito focado principalmente em cada saque, em cada golpe. Acho que no final do terceiro set, eu só fiz um brainstorm e me disse: ‘O que está errado, por que não está funcionando do meu jeito?’ Mas então o meu jogo disparou sozinho. Eu realmente não tinha muito no que pensar. Acho que é assim que eu sinto. Só joguei de forma mais impecável, joguei sem cuidado, e isso aumentou meu nível de tênis”.

Este foi apenas o sétimo jogo de cinco sets na carreira do grego, que marcou sua terceira vitória. É também a segunda vez que ele vira uma partida depois de perder as duas primeiras parciais, repetindo o que fez contra o espanhol Jaume Munar no saibro de Roland Garros no ano passado. Além disso, Tsitsipas é apenas o terceiro jogador a conseguir uma virada assim contra Nadal.

“Não me sinto completamente exausto. Acho que com a experiência percebi como preservar minha energia e quando realmente tenho que trabalhar duro na partida”, explicou o número 6 do mundo.

“Eu posso ter passado um pouco mais de tempo na quadra, colocado meu corpo em mais estresse e em tarefas difíceis de completar, mas no geral me sinto muito bem”.

Agora, o grego, atual número 6 do mundo, enfrentará o russo Daniil Medvedev, 4º, na semifinal do torneio, às 5h30 da sexta-feira.

Comentários (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

© 2018-2020 Agência Olímpica.