Calderano cai nas oitavas e se despede do sonho de medalha no Mundial

Data:

Brasileiro caiu para o bicampeão mundial e campeão olímpico. Foi a melhor participação de um atleta do país no Mundial, ao lado de Biriba e Kano

A melhor campanha de um brasileiro na história do Campeonato Mundial de tênis de mesa chegou ao final nesta quinta-feira (25). Diante de um extraordinário jogador, o chinês Ma Long, campeão olímpico e bicampeão mundial, Hugo Calderano caiu por 4 sets a 1 (11/8, 8/11, 1/11, 3/11 e 8/11), nas oitavas de final do torneio.

Muito prejudicado pelo sorteio do Mundial, Hugo Calderano quer continuar se preparando para sonhar ainda mais alto. Ele parou nas oitavas, assim como Ubiraci Rodrigues da Costa, o Biriba, no Mundial de Pequim, em 1961, e Cláudio Kano, em Nova Déli, em 1987.

- Advertisement -

“O sorteio faz parte da competição. Infelizmente, joguei com o Ma Long. Mas foi uma experiência muito boa. Vou continuar treinando para ganhar dele e dos outros atletas da China no futuro. Não posso dizer que fico satisfeito, pois sempre quero ir além. Eu sei que tenho a capacidade de enfrentar os melhores, só é muito difícil manter a regularidade e a consistência”, analisa o brasileiro.

Na partida desta quinta-feira, Calderano começou em um nível realmente muito alto. Fez jogo equilibrado até a igualdade em 7 a 7, quando a torcida em Budapeste começou a empurrar o brasileiro aos gritos de “Hugo, Hugo, Hugo”. Ele respondeu com brilhantismo e fechou a primeira parcial em 11 a 8.

Ma Long acordou no segundo set, mas Calderano mantinha o equilíbrio. Desta vez, o chinês foi melhor nos momentos decisivos, devolveu o 11 a 8 e tomou conta do jogo, praticamente não dando oportunidades ao brasileiro nos dois sets seguintes. Na quinta parcial, o chinês ainda controlou a partida, apesar de leve reação de Calderano.

“Foi muito difícil, joguei muito bem nos dois primeiros sets, coloquei um pouco de pressão nele. Mas ele é um jogador muito forte, quase não comete erros. Ele ganhou o segundo set, se relaxou mais e o nível dele cresceu bastante. Não consegui manter o nível muito alto depois que ele começou a jogar muito bem”, reconhece.

- Advertisement -
Gabriel Lima
Gabriel Lima
Gabriel Lima é jornalista, formado pela Universidade Federal do Pará. Já participou da cobertura dos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires, 2018. Na ocasião, esteve responsável pelas notícias e atualizações da ginástica artística.

Compartilhe

Recentes