F1: GP do Qatar é marcado por calor e desgaste dos pilotos 

Data:

A corrida do GP do Qatar foi vencida por Max Verstappen, sem surpresas. O agora tricampeão de Fórmula 1 largou da pole e confirmou o favoritismo. Oscar Piastri e Lando Norris completaram o pódio. 

Com Max tendo conquistado o tricampeonato ainda na corrida sprint, o grande “destaque” da prova foi o calor extremo e o desgaste dos pilotos. 

- Advertisement -

Abandono por desgaste 

O piloto estreante Logan Sargeant abandonou a prova pois estava se sentindo mal. Após ter gripado no início da semana, o norte-americano não aguentou o desgaste da corrida e avisou a Williams, a equipe imediatamente autorizou que ele parasse. 

Além dele, Esteban Ocon revelou no final da prova que vomitou no capacete entre as voltas 15 e 16. Max Verstappen também sofreu muito com o calor e desidratação. No final da corrida, o tricampeão alertou a organização sobre o perigo. 

“Já esperávamos por isso, mas esse fim de semana foi quente demais para pilotar. Se continuarmos voltando aqui, essa corrida precisa ser mais para o fim do ano. Estava beirando 40ºC lá fora. Foi bem extremo. Muitos pilotos com os quais eu falei depois do pódio, estavam deitados no chão” declarou Verstappen. 

Quase desmaiou 

Após a corrida, George Russell também disse que passou mal. O piloto da Mercedes contou: “houve um momento na corrida em que eu achei que fosse desmaiar”. Lance Stroll saiu do carro com muita dificuldade e foi direto para a ambulância. 

Em vídeos, é possível ver que o canadense não consegue ficar em pé direito e caminha com muita dificuldade até a ambulância. O piloto da Aston Martin disse que em alguns momentos não conseguia enxergar nada e era como se ele tivesse perdido a consciência. 

“Essas temperaturas… tudo ficava borrado, nas curvas de alta velocidade estávamos quase desmaiando. A pressão ficando baixa. Com a força G nas curvas de alta, nas últimas 20 voltas já não dava pra enxergar mais nada, porque era como se perdêssemos a consciência nesses trechos”, disse Stroll para a SkySports.

Alexander Albon também foi para o centro médico para receber atendimento. Kevin Magnussen, da Haas, passou por problemas parecidos com o de Stroll. O dinamarquês quase não consegue sair do carro e precisou ser amparado.  

Lando Norris destacou que a corrida foi extremamente difícil. O inglês afirmou que alguns pilotos chegaram a desmaiar na sala do centro médico após a prova. 

“Foi uma corrida difícil. Alguns pilotos quase desmaiaram no centro médico. Isso mostra o quão difícil é nosso trabalho. É fácil dizer que temos que preparar melhor, mas estamos expostos a 50, 60 graus no cockpit, não é algo normal para o corpo humano. Até pra mim, em alguns momentos minha visão ficou borrada, e isso é perigoso. Chegamos ao limite do corpo humano nessa corrida”, revelou.

O que a FIA disse

Após os relatos dos pilotos, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) soltou uma nota e disse que recebeu as declarações com preocupação. Além disso, a entidade afirmou que irá se reunir com o conselho médico da organização para pesquisar medidas para um fluxo de ar mais eficiente dentro do cockpit, assim como mudanças no calendário.

“A FIA nota com preocupação que as extremas temperaturas e umidade durante o GP do Catar de F1 2023 tenham impactado o bem-estar dos pilotos” disse a nota. “Enquanto atletas de elite, não deveríamos esperar que eles competissem sob condições que podem prejudicar sua saúde ou segurança. A operação segura dos carros é, a todo tempo, responsabilidade das equipes competidoras”, ressaltou a organização. 

“Entretanto, em outros aspectos relacionados à segurança como estrutura do circuito e requisitos de segurança dos carros, a FIA vai tomar todas as medidas razoáveis para estabelecer e comunicar parâmetros aceitáveis nos quais as competições são disputadas”, afirmou um trecho da nota. 

Em 2024, o GP do Qatar será no dia 29 de novembro. Nessa época, as temperaturas registradas são mais baixas, no entanto, ao que tudo indica, a FIA deve agir para evitar o desgaste que os pilotos tiveram na corrida deste ano. 

Agenda 

A próxima etapa da F1 é o GP de Austin, nos Estados Unidos, no circuito das Américas. A corrida será no dia 22 de outubro, com largada às 16h.

- Advertisement -
Aila Beatriz Inete
Aila Beatriz Inete
Aila Beatriz Inete é formada em jornalismo pela Universidade Federal do Pará (UFPA). É apaixonada por exportes e tem experiência na cobertura de eventos esportivos no Pará.

Compartilhe

Recentes