Matteo Berrettini lamenta derrota em Madri e espera que essa ‘não seja sua única final’

  • O italiano lamentou a oportunidade perdida no segundo set, quando teve um break point a seu favor

Madri, Espanha – O italiano Matteo Berrettini não pôde deixar de lamentar a sua derrota no Masters 1000 de Madri neste domingo. Após largar na frente, ele acabou sendo superado pelo alemão Alexander Zverev, por 2 a 1, parciais de 7-5, 4-6, 3-6.

“Foi a minha primeira final de Masters 1000 e espero que não seja a última. Sei que a derrota dói, mas esse jogo pode ser útil para o futuro. Zverev ganhou do Nadal e do Thiem em dois sets, mas não conseguiu me vencer facilmente. Esse é um sentimento positivo que eu tenho e que me ajudar”, disse Berrettini.

O italiano lamentou a oportunidade perdida no segundo set. Ele começou a parcial confirmando seus três primeiros games de serviço de zero, mas não aproveitou o break point que teve no início da parcial. Zverev conseguiu reagir na reta final do set, vencendo 12 dos últimos 15 pontos da parcial. Já no set decisivo, o alemão conseguiu duas novas quebras e fechou o jogo.

“Levo para casa que na final eu ganhei um set que senti, mas perdi outro que pensei ter sob controle. Eu Joguei muito bem no início do segundo set, mas não consegui aproveitar o break-point. O terceiro foi uma batalha e o Zverev não me deixou jogar meu melhor tênis. Sinto que ainda tenho muito trabalho a fazer para melhorar, ser mais forte e mais rápido”.

Apesar da ótima semana em Madri, Matteo Berrettini teve poucas oportunidades de aproveitar a cidade. A série de restrições sanitárias do torneio fazem com que os jogadores só possam se deslocar entre o hotel e o clube.

“É uma pena não poder conhecer a cidade, mas já estamos habituados. Sentimos falta de um estádio cheio e do apoio da torcida em momentos de tensão, mas devemos reconhecer o esforço que foi feito aqui em Madri. Eu me diverti muito aqui. Foi uma semana linda”.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima