Naomi Osaka, tenista japonesa, revela incertezas sobre a Olimpíada

  • Tenista japonesa afirma que está preocupada com os riscos aos quais a população será exposta durante as Olimpíadas

Roma, Itália – Naomi Osaka revelou que está confusa sobre a realização da Olimpíada em meio à pandemia de covid-19. A tenista japonesa, que ocupa o segundo lugar no ranking da WTA, foi questionada sobre a situação no Aberto de Roma neste domingo.

“É claro que eu diria que quero que as Olimpíadas aconteçam, porque sou uma atleta e é isso que tenho esperado por toda a minha vida. Mas acho que muitas coisas inesperadas aconteceram e se isso está colocando as pessoas em risco, e se está deixando as pessoas muito desconfortáveis, então definitivamente deveria haver uma discussão, acho que agora é a hora”, disse ela.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio foram adiados em um ano por causa da pandemia e a situação na cidade-sede não é nada favorável à realização do megaevento: além do agravamento da pandemia, a oposição popular é grande.

Os organizadores locais e o Comitê Olímpico Internacional (COI) insistem que os Jogos começam conforme planejado em 23 de julho.

“No final do dia, sou apenas uma atleta e há uma pandemia acontecendo”, disse Osaka.

O COI anunciou recentemente que os laboratórios da Pfizer e BioNTech doariam doses para vacinar atletas e oficiais que irão para Tóquio. O COI disse repetidamente que as Olimpíadas estavam sendo organizadas como se as vacinas não estivessem disponíveis, mas tem pressionado bastante para que os atletas sejam vacinados.

“Sinto que deve ser feito um esforço para que todos se sintam mais confortáveis ​​e seguros. Haverá muitas pessoas entrando no país, então, eles terão que tomar decisões acertadas sobre isso”, reforçou a tenista.

Naomi Osaka ainda acrescentou: “Se você está indo para as Olimpíadas, deixe o país anfitrião feliz.”

Os Jogos Olímpicos de Tóquio estão marcados para começar no dia 23 de julho, enquanto que as Paraolímpiadas começam em 24 de agosto.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima