Única mulher medalhista olímpica do Chile, Marlene Ahrens morre aos 87 anos

Única mulher medalhista olímpica do Chile, Marlene Ahrens morre aos 87 anos

Santiago, Chile – Medalhista de prata no lançamento de dardo na Olimpíada de Melbourne, em 1956, Marlene Ahrens morreu na última quarta-feira (17), aos 87 anos, conforme noticiado pelo jornal chileno Emol.

Ela era a única mulher na delegação chilena que viajou para os Jogos Olímpicos da Austrália naquele ano. Na ocasião, ela foi a porta-bandeira do Chile na cerimônia de abertura da competição.

Seu arremesso de 50,38 metros foi suficiente para ganhar a prata, uma das 13 medalhas conquistadas pelo Chile em toda a história olímpica. Marlene Ahrens também competiu em Roma, em 1960, novamente atuando como porta-bandeira, mas não conseguiu subir ao pódio.

Fora das Olimpíadas, Ahrens foi bicampeã dos Jogos Pan-Americanos, triunfando em Chicago 1959 e São Paulo 1963. Após sua carreira no atletismo, Ahrens começou a praticar tênis e hipismo, representando o Chile nos  Jogos Pan-Americanos de 1995, em Mar del Plata.

A Panam Sports, entidade que regula os Jogos Pan-americanos, prestou homenagem à ex-atleta.

“O presidente do Panam Sports, Neven Ilic, expressa suas condolências a sua família e amigos neste momento difícil”, afirmou a organização no Twitter.

O Comitê Olímpico do Chile também criou uma página no Facebook chamada “Gracias Marlene Ahrens” para permitir que as pessoas compartilhem mensagens e memórias sobre Marlene.

Comentários (0)

Leave a Reply

© 2018-2020 Agência Olímpica.

Rolar para cima